[SÉRIES] Supernatural (12x04) | Review

By 12:30:00

Enquanto resolve mais um caso e lida com uma mãe superproterora e fanática religiosamente, Dean tem que lidar também com o oposto: com a a ausência da sua.

O caso começa com uma mulher ensaguentada sendo chicoteada por alguma força invisível ao entrar em uma igreja, logo depois morrendo. Dean e Sam investigam o que aconteceu e descobrem que enquanto viva ela trabalhava como assistente social. Ao visitar o antigo escritório da moça, Dean passa a achar que a sua colega de trabalho, que agora fora promovida ao seu antigo cargo, tenha sido responsável pela morte através de bruxaria, apenas para subir profissionalmente.

Porém, ao encontrar uma conexão entre o caso e uma família religiosa que mora isolada em uma fazenda (e que também tiveram uma filha morta), Sam discorda e passa a achar que o espírito da filha quer vingança, já que ela morreu pelo fanatismo dos pais, que por acreditarem que "só Deus salva" não permitiram que ela fosse ao médico.

Descobrimos que os dois estavam errados e que a garota que Sam acredita ser um fantasma está viva e mora em cativeiro no porão da casa. Sua mãe lhe mantém trancada por acreditar que seus poderes psíquicos na verdade são uma possessão demoníaca.



Tudo isso fez uma ponte com o plot das primeiras temporadas, quando Sam possuía poderes psíquicos. Mesmo fazendo com que a gente simpatizasse pela personagem e torcesse para que ela aparecesse mais vezes na série (e com isso trouxesse novamente o tema psíquico com ela), fomos surpreendidos com o final do episódio, que terminou com um dos Men of Letters matando-a. Eu sei que eles estão em solo americano para consertar o que acreditam ser as burradas dos Winchester, mas não consigo pensar em um motivo claro para terem matado a garota. Posso estar teorizando demais, mas, a única coisa que me vem a cabeça é a possibilidade deles estarem tentando exterminar jovens com poderes psíquicos, que agora estão de volta em massa e fazem parte de algum grande plano, e por isso representam ameaça. Será que teremos um feeling das primeiras temporadas novamente?



A abordagem do filler permitiu levantar questões não só religiosas, como também familiares, além de reflexões sobre o capitalismo. A primeira apareceu através do fanatismo religioso da família que num exemplo extremo de carolice não deixava a filha doente ir ao médico, a segunda através do relacionamento abusivo entre mãe e filha (e também através da preocupação de Dean em ter perdido a mãe mais uma vez), e a terceira através da reflexão que o pai faz sobre consumismo, corporações e o motivo de viver afastado da civilização.

Durante todo o episódio Dean tentou em vão entrar em contato com Mary, que não lhe dava resposta. Ao fim, acreditando ter perdido a mãe novamente, ele é surpreendido e recebe, para a sua alegria (e de todos os Hunters), uma mensagem de Mary avisando que estava sem bateria e que os ama. Mary já se tornou muito querida pelos fãs, e não só ela como Crowley e Cas fizeram muita falta no episódio.

Como eu havia teorizado em resenhas passadas, Mary parece ficar ausente por algum tempo, porém não defintivamente, o que se confirmou pela mensagem. Mary já se tornou essencial para a série, e eu realmente torço para que ela volte logo. É confortante ter a presença dela ali após tantas temporadas. Como ela mesma falou: "I'll always be mom". Não só para Dean e Sam, Mary se tornou mãe de um fandom inteiro.

0 comentários