O BBB da imprevisibilidade e das promessas não cumpridas

By 05:58:00 ,


16 dias se passaram desde a entrada dos 20 participantes na casa do BBB e uma vida aconteceu de lá pra cá: a rivalidade entre Ana Paula e Mahmoud nasceu, Breno formou um triângulo amoroso com Ana Clara e Jaqueline, a aliança do Clube dos Cuecas com o "Trio da Mandinga" (como a edição bem chamou) surgiu, o Clube dos 7 Votos se formou e a confusão da promessa do anjo dividiu opiniões. Essa cama de gato montou um cenário cheio de meandros e que confunde a cabeça do telespectador.

Antagonistas um do outro e vítimas de si mesmos, os participantes têm se mostrado cheios de defeitos e nuances. Ninguém ali é santo ou pretende ser, tirando o Noivo de Taubaté, claro. E tudo isso tem confundido a cabeça do público. Duas semanas se passaram e as opiniões sobre os participantes mudaram como uma montanha russa que sobe e desce numa velocidade avassaladora.

Prova disso é que há uma semana essa coluna defendia a permanência de Ana Paula na casa. Muita coisa aconteceu e ela agora perde a preferência do público, mesmo depois de ter superado o hate que levou da internet nos primeiros dias pelo fato de ter a voz irritante e de ter se tornado uma das favoritas ao longo da primeira semana após rivalizar com Mahmoud. Agora a única coisa que faz é fofocar e falar mal dos outros pelos cantos, não concretizando a vingança que o público tanto esperava. Foi de odiada para amada e odiada novamente.


Ao contrário dela a família Lima que começou sendo detestada agora tem Ana Clara como uma das protagonistas da edição. Mesmo com a âncora que é o pai, Ana Clara consegue se destacar entre os 16 participantes que ainda restam. Protagonizou a primeira briga da edição e um triângulo amoroso com Breno e Jaqueline. Já a biomédica não teve muita sorte.

Jaqueline era uma das favoritas, mas se perdeu ao usar Breno para afetar Ana Clara e principalmente ao mentir sobre não ter prometido o anjo à Mahmoud. Ele, odiado na primeira semana por todo o drama que criou com Ana Paula, agora recebeu a compaixão do público após o barraco ensaiado de Jaqueline para humilhá-lo e permanecer na casa. O fato é que Jaqueline estava desesperada, tentando de casais até brigas sem sentido para garantir votos da audiência. A raiva por Mahmoud foi esquecida, ou ao menos guardada por um tempo pelo senso de justiça do público que falou mais alto. Muito provavelmente agora vamos mudar de opinião mais uma vez e odiá-lo novamente.


Parte dessa imprevisibilidade é fruto das promessas não cumpridas, promessas criadas pela expectativas de nós telespectadores e também por eles lá dentro. A promessa de Ana Paula (ou pelo menos a expectativa do público) para que se vingasse de Mahmoud e o confrontasse não aconteceu. Por outro lado ela nos apresentou uma Ana Paula que desde o início movimenta o jogo por trás dos panos e que consegue moldá-lo do jeito que quer, desde criando o Clube Dos 7 Votos para se manter ali dentro até plantar a discórdia na cabeça da Jaqueline para que discutisse com o rival.

Entretanto, essa não foi a maior promessa não cumprida. A maior delas foi Mara, que não ganhou o tempo necessário para concretizá-la. Com um pavio curto e um potencial gigantesco para o barraco, Mara foi podada para que o enredo de Ana Paula pudesse se desenvolver. Não desenvolveu. Mahmoud, que sempre berra aos quatro ventos ser "esquentadinho" (nas próprias palavras), e Ana Paula, a bruxinha que encabeça o Clube dos 7 Votos, nem trocam olhares ou ao menos uma fala, quem dirá um barraco. Aposto que o público está tão arrependido quanto eu por ter deixado ela lá.


Assim como Ana Paula, Mahmoud não só prometia ser esquentadinho como prometeu que iria se vingar de todos os 7 votos que levou. Na primeira oportunidade que teve para mostrar o potencial, acuou e não respondeu os algozes a altura. Ouviu de Jaqueline com a voz baixa, apenas afirmando repetidamente que ela havia sim lhe prometido o anjo. Esperteza ou sorte? O público comprou o papel de excluído que lhe coube não por ter se acuado, mas por saber que Jaqueline estava mentindo. É... acho que foi sorte, Mahmoud.

Mas de tudo o que temos visto até agora, a promessa não cumprida de Breno e Clara é até boa. A promessa de serem um casal não foi feita nem por eles nem pela gente, mas por todo um histórico de 17 edições que já nos deixa subentendido que por terem se beijado formariam um casal. Mas não. E confesso que é muito mais gostoso assistir a esse jogo de gato e rato deles com o adendo do empecilho de ter o pai de Ana Clara dentro do mesmo reality. Até agora esse "não-namoro" já nos rendeu um triângulo amoroso e um surto pós-festa com DR de incansáveis duas horas.


Enquanto nos perguntamos como vai acabar essa história mal resolvida de Ana Clara e Breno, outra promessa não se cumpre: a de Paula. A dela, que desde a sua chamada anunciava: "eu sou o caos". Embora arraste uma emergente torcida, tudo que ela tem feito até agora é tentar manter a pose de sensata e pedir biscoito para as amigas. Deu o anjo para Jéssica na tentativa de ser aceita por ela e Jaqueline e assim conquistar a confiança das loiras. Tomou partido no triângulo amoroso e criticou a aproximação de Ana Clara com Breno durante uma festa para que pudesse se sentir bem com Jaqueline, o que impulsionou o surto de Ana Clara. Além disso, mudou a opinião sobre o Lucas ter levado o Mahmoud para o cinema do líder quando viu que Jéssica tinha outra opinião.

No meio de tudo isso temos também eles, Lucas e Jéssica. A frase "não fode nem sai de cima" nunca fez tanto sentido. A promessa não cumprida deles é essa. Tendo medo de se queimarem aqui fora por ambos serem comprometidos, eles se queimam muito mais deixando claro que só não se beijam por temerem a imagem que vão gerar. Assim se queimam duas vezes: ao provarem que poderiam chegar a ser infiéis e ao provar que estão agindo não sendo verdadeiros consigo, mas pensando nas câmeras.


Por fim, de todas as promessas não cumpridas, a de Jaqueline foi a que custou mais caro lá dentro. Custou sua permanência na casa. O público pode perdoar erros e até faltas menores, mas uma coisa que não perdoa é a injustiça. O telespectador é o juiz desse jogo e se dentro da casa tivessem alguma dúvida, agora não mais. Sabendo disso, a pergunta é: será que as promessas vão continuar sendo descumpridas? O que sabemos até aqui é que o elenco é imprevisível. Essa imprevisibilidade da edição é uma promessa que não foi feita e que mesmo assim se cumpre a cada dia que passa. O final da história a gente ainda não sabe, mas Lucas traindo a noiva ou não e Mahmoud e Ana Paula concretizando ou não a rivalidade, uma coisa é certa e uma promessa nunca é descumprida: Tiago Leifert não decepciona ao tombar os participantes em segundas eliminações. Mayara, foi a Roberta e você prometeu sim, Jaqueline! Senta aqui, Tiago, a gente te ama.

0 comentários