Quinn Fabrey e o complexo de Barbie

By 09:00:00

Presidente do Clube de Celibato do McKinley High School, capitã das líderes de torcida e namorada do Quarterback do time de futebol. Essa é a realidade de Quinn Fabrey no início da 1ª temporada de Glee. Tudo muda quando ela se descobre grávida e imersa em uma série de acontecimentos que vão levando-a à três temporadas de altos e baixos durante o Ensino Médio.

No "Analisando Personagens" de hoje, a Coluna traz Quinn Fabrey e sua trajetória de percalços nas três primeiras temporadas de Glee.

Gravidez



Quinn sempre quis ser perfeita. Desde o início da série fica claro a preocupação com a imagem e com o que as pessoas pensam. Ao se descobrir grávida de Puck, ela tenta manter as aparências e esconder a traição de Finn, seu namorado. Ela o diz que o filho é dele quando na verdade é de Puck, e leva o segredo com a barriga — literalmente — até ser descoberta em uma cena pra lá de dramática.

Além da descoberta da traição, Quinn enfrenta o preconceito dos colegas ao ser mãe adolescente. Ela tem de deixar o time das líderes de torcida — pela sua saúde a do bebê —, além da presidência de celibato, já que grávida fica claro que ela não é mais virgem.

Quinn ainda é expulsa de casa. Tudo isso acaba com  imagem de garota perfeita e intocável que ela possuía na escola. Quinn agora é vista como promíscua e não mais com aquela imagem inatingível que possuía. Ela vê suas fragilidades serem expostas e tem que aprender a lidar com elas.

Lucy Caboosey



Na 2ª temporada Quinn dá a filha para adoção e retoma a vida que tinha no início da série: ela veste novamente o uniforme das Cheers e volta a ocupar o posto de capitã das líderes de torcida. Quinn está novamente no topo da pirâmide social da escola.

Durante a temporada ela se envolve com Sam, um novo garoto, e aprofunda as relações com o Glee. Mas como nem tudo são flores, Quinn vê sua vida ser exposta novamente ao vir a tona um segredo do passado: Lucy Caboosey. Seu antigo nome — Lucy — e apelido — Caboosey — são revelados durante a competição para o título de Rainha do Baile.

As fotos de quando usava óculos e era era gorda são espalhadas pela escola, o que faz com que a coisa que mais importante para ela — o título de rainha do baile — seja ameaçado. Mais uma vez Quinn fica com as fragilidades vulneráveis e vê seu castelo desmoronar. Agora todos sabem das plásticas e a personagem da Barbie não dura mais uma vez.

A série, que prega tanto a aceitação, de início peca ao passar a mensagem de que a nova Quinn é melhor e mais feliz do que a outra, por não ser mais gorda ou não ter mais uma aparência vista como "ruim". Isso muda quando Quinn acaba aceitando quem ela era e vestindo a camisa com o o apelido "Lucy Caboosey" na apresentação de "Bormn This Way". A série diz, enfim, que está tudo bem ser daquele jeito.

Fase rebelde



Na 3ª temporada Quinn muda radicalmente. Ela deixa o cabelo loiro e o rabo de cavalo para trás, sai das Cheers — desta vez por vontade própria — e pinta as madeixas de rosa, mudando as roupas e todo seu estilo. Ela passa a fumar e entra para um grupo de desajustadas do McKinley High.

No ápice do seu desajuste, Quinn atribui todos os seus fracassos ao Glee Club durante uma discussão com Mr. Schue, levando o professor a lhe dar um choque de realidade. Mr. Schue a lembra de que foi o Glee Club quem lhe acolheu quando ela mais precisou, seja quando ficou grávida ou no momento em que foi expulsa de casa. Ele enfatiza que a única pessoa com quem Quinn se importa é ela mesma e por fim a manda crescer.

Quinn acaba tirando a cor rosa do cabelo, mas mesmo quando deixa o visual rebelde de lado, ela continua com o objetivo de ter sua filha de volta. A fachada de garota boa é apenas para retomar a filha. Quinn planta evidências falsas no apartamento de Shelby, para que ela seja vista como incapaz de ter a guarda de Beth. Quinn também tenta fazer com que a mãe adotiva da sua filha demitida ao planejar conta para o diretor do McKinley High a relação que a professora teve com Puck.

Ao perceber quão errada estava, Quinn desiste do plano, recebe conselhos de Shelby e tenta voltar mais uma vez para as Cheers, mas desta vez não tem tanta sorte. Sue nega e ela percebe que seja com Beth ou com as líderes de torcida, nem sempre as coisas voltam a ser como eram antes. Alguns erros não podem ser consertados.

Cadeira de rodas



Na segunda metade da 3ª temporada, Quinn recebe outro arco: o da cadeira de rodas. Depois de ficar grávida, ter seu passado como Lucy Caboosey revelado, pintar o cabelo de rosa e entrar em uma fase rebelde, Quinn já teria pagado por todos os pecados de uma "mean girl". Eis que Ryan Murphy prova mais um vez o seu ódio por Dianna Agron e coloca a personagem em uma cadeira de rodas.

Quinn aceita ser madrinha de casamento de Rachel e Finn, mostrando a evolução e amadurecimento da personagem. É aí, quando está ficando em paz com ela mesma e voltando aos trilhos, que o desastre acontece. A caminho do casamento, o seu carro é atingido por um caminhão e Quinn passa a usar cadeiras de rodas até o fim da temporada.

O arco acaba humanizando ainda mais a personagem. Durante o período Quinn faz fisioterapia, se aproxima de Artie e aprende a como é viver nessa nova realidade. A cena de Quinn levantando da cadeira durante o baile é memorável, e ficou marcada na mitologia da série. É a representação imagética de que ela sempre se levanta, mesmo após tantas quedas.

Nesse mesmo episódio Quinn finalmente ganha como rainha do baile, depois de três incansáveis anos tentando. É quando se dá conta de que não precisa da coroa. Ser chamada de Lucy Caboosey ou ter perdido o título para Kurt nos anos anteriroes não importam. Nada disso importa mais. É só um título. A percepção disso vem após todo desenvolvimento dela ao longo dos três anos. Essa percepção não seria possível sem as vivências experimentadas.

Em um dos episódios finais, Quinn devolve o uniforme de líder de torcida para Sue, mas é surpreendida quando a treinadora a manda ficar com ele. Sue assume a admiração que tem por ela e por sua resiliência, que sempre a fez levantar e seguir em frente. A cena representa tudo que Quinn foi ao longo da vida escolar: a garota que queria acertar. Ela sempre quis ser perfeita, e em meio a tantos erros, ela foi a melhor Quinn que poderia ser.

0 comentários